jusbrasil.com.br
14 de Agosto de 2018

A morte por inanição da advocacia.

Os motivos que dificultam a atuação do jovem advogado no mercado de trabalho.

Arthur Borges Curti de Alencar, Advogado
há 25 dias

O advogado encontra duas barreiras naturais para a sua atuação, e que matam os recém formados por inanição: a morosidade da justiça e as restrições à publicidade previstas no código de ética da oab.

Todos conhecem as diversas restrições impostas pelo código de ética e disciplina da OAB, não se podendo fazer propaganda imoderadamente, nem se promover com as causas que patrocina e mais recentemente proibiram as consultas de clientes por aplicativos e plataformas de interações sociais.

Essas medidas restritivas, além de configurarem um retrocesso por irem de encontro com as evoluções tecnológicas, atingem de forma mais forte os jovens advogados, que não possuem nome no mercado e dependem do marketing digital acessível através de redes sociais gratuitas.

Hoje os recém formados ou estão submissos aos empregos em escritórios que quase sempre pagam a metade do piso salarial da classe, ou quando decidem advogar são barrados pela própria OAB, com restrições às novas formas de atuação, proibindo de prestarem consultoria à distância através de aplicativos.

Passa despercebido pela OAB que essas restrições não somente prejudicam os advogados, como também recentemente resultaram na crescente inadimplência com as anuidades do conselho, sendo a maior já registrada, ora, não compensa você arcar com uma anuidade altíssima se não terá retorno, pois os clientes não querem mais sair de casa para ter dor de cabeça em escritórios de advocacia, pelo contrário, preferem ser atendidos via WhatsApp, com comodidade.

A evolução chegou para melhorar a forma de atuação dos advogados, ao invés de reduzir os empregos, é o contrário, vai aumentar a renda, pois o advogado não será mais obrigado a se restringir como correspondente. Dessa vez ele poderá ser o dono dos seus próprios clientes, sem ficar à mercê de empregos a salários irrisórios.

Ao invés de tolher direitos, de incentivar o retrocesso, a OAB deveria capacitar os jovens advogados para atender às demandas atuais, ampliando sua probabilidade de crescimento profissional.

Sou jovem advogado e não posso reclamar da clientela que a internet já me trouxe, não tenho medo de ser substituído por robôs, pelo contrário, eles estão aqui para auxiliar o advogado com seus atendimentos. Torço bastante para que a OAB ultrapasse esse conservadorismo e traga com isso uma possibilidade para que os recém formados tenham uma chance no mercado de trabalho.

4 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Belo texto Dr. Arthur, a OAB ao invés de nos ajudar está nos prejudicando cada dia mais. continuar lendo

Obrigado, Dr. Eu apenas tentei externar um pouco do que vivemos diariamente. A advocacia realmente é árdua e cheia de percalços, mas podemos tomar algumas medidas que deixem menos difícil o exercício desse labor. continuar lendo

A OAB só se interessa pela anuidade. continuar lendo

Infelizmente convivemos com isso, mas nesse ritmo de decréscimo do pagamento das anuidades, espero que tomem uma medida urgente, pois advogar acaba se tornando insustentável. continuar lendo